Construindo a cidade Olímpica no país do jeitinho

Construindo a cidade Olímpica no país do jeitinho

A vida não é assim tão séria Quando o grego Tassos veio ter aulas comigo, ele já falava um pouco de português. O que ele queria era ser carioca. E assim eram as nossas aulas sábado pela manhã. Sempre me surpreendia como ele colocava na prática todas as coisas que ele aprendia até que ele começou a me ensinar sobre o Rio. Ele sempre trabalhava muito, mas nunca o vi estressado. Ele dizia que as pessoas levavam a vida muito a sério e a vida não era para ser assim. Ser profissional não significa que a vida precisa ser encarada com tanta seriedade. Eu acompanhava os resultados dele no trabalho e o seu progresso com sua meta de ser carioca. Mas mesmo assim, não entendia o que ele queria dizer com “não levar a vida tão a sério”. Nas vésperas dos jogos olímpicos, alguns eventos testes tinham a cobertura da mídia. Ele estava trabalhando na arena aquática e, durante o evento, faltou luz. A plateia estava lotada e todos os atletas e a equipe estavam lá. Eles podiam contar com qualquer tipo de problema técnico, agora, faltar luz, algo tão básico? No dia seguinte imaginei que ele estivesse tenso com isso e ele me surpreendeu com um enorme sorriso. Ele disse: “Você sempre tentou me explicar o que é ser carioca e agora mais do que nunca faz sentido para mim. Faltou luz ontem. O que você espera da atitude de um diretor nesse caso? O diretor era brasileiro e, com muito bom humor, ele deixou toda a equipe tranquila para que todos dessem o seu melhor.” “Se isso...
Planejamento | Construindo a cidade Olímpica no país do jeitinho

Planejamento | Construindo a cidade Olímpica no país do jeitinho

Planejamento Jamile me pediu ajuda para traduzir a apresentação sobre o planejamento das ações para recrutar voluntários que trabalhariam durante os jogos Olimpicos. Ela dizia que toda a equipe precisa falar inglês, mas mesmo assim, a equipe de RH não estava seguindo o planejamento necessário para o processo de seleção dos voluntários. Ela supôs que eles não estivessem entendendo o inglês. Então ela concluiu que a solução seria fazer a apresentação em português para o RH. Comecei a traduzir com ela a apresentação e foi ficando claro para mim o que não estava sendo entendido: não era o idioma, e sim o planejamento em si. Planejamento não é uma qualidade brasileira. O Brasil é um país em que o planejamento ainda está sendo construído. Uma pátria baseada no pensamento de que é interessante para políticos corruptos que as obras não cumpram prazos e ainda se pensa em obras feitas para durar pouco tempo para que seja necessário gastar ainda mais fazendo novamente. O pensamento é voltado para o curto prazo. O brasileiro é um povo que aprendeu a viver em crise e a ser criativo para lidar com essa crise. Não desenvolveu o planejamento pois é comum não poder segui-lo por diversos fatores externos. Não era somente a equipe de RH que estava tendo problemas com o planejamento. Todas as áreas estavam tendo problemas referentes a isso. A equipe de tecnologia precisava que as instalações ficassem prontas para poder testar a tecnologia. Era para isso que eles estavam no Brasil, quase 4 anos antes, em reuniões com a prefeitura. Era comum ouvir do prefeito que ele também esperava que...